Seleção de proteína recombinante

Proteínas-alvo do Covid-19 e a BioLinker

A jornada da BioLinker só teve início no final de 2019, mas com toda a urgência trazida pela pandemia, nos destacamos e iniciamos o desenvolvimento de diversas proteínas-alvo do Covid-19.

Como tudo começou…

A pandemia exigiu dos cientistas o desenvolvimento de proteínas-alvo do Covid-19, e esse foi o início da jornada da BioLinker. Iniciamos esse trabalho há mais de 10 meses e estamos honrados com a evolução e visibilidade:

Imagem de células fluorescentes  de proteínas-alvo
343″Estamos estabelecendo formas diferentes de expressão das proteínas S, RBD e gene N. Todas importantes proteínas para o diagnóstico de pacientes.”

Após o estabelecimento de expressão de proteínas S, RBD e gene N de Covid-19, iniciamos uma colaboração com o Prof. Dr. Marco Antonio Stephano para fazer parte do seu trabalho de desenvolvimento de uma vacina nasal em forma de spray. A colaboração com o Prof. Marco Antonio é muito gratificante não só no âmbito científico, mas também por nos proporcionar a experiência de trabalhar com esse profissional incrível.

Disponibilizamos para a equipe do Prof. Marco Antonio Stephano proteínas-alvo do Covid-19, que foram desenvolvidas com a tecnologia cell-free.

Imagem contendo diversos cartoon, com pessoas de máscara, seringa, remédios, e suporte sorológico.
Jornal da USP – Vacina em spray com aplicação no nariz

Diversidade de Projetos

Mas não paramos por aí, começamos a desenvolver o nosso próprio teste diagnóstico de Covid-19, que ganhou destaque na mídia por ser um projeto 100% nacional:

https://pesquisaparainovacao.fapesp.br/startup_busca_desenvolver_teste_de_diagnostico_da_covid19_totalmente_nacional/1406

https://www.saopaulo.sp.gov.br/ultimas-noticias/covid-19-startup-busca-desenvolver-teste-de-diagnostico-totalmente-nacional/

https://eurekalert.org/pub_releases/2020-06/fda-bss062620.php

Como a BioLinker estava engajada com diversos projetos relacionados à Covid-19, foi um dos seis primeiros projetos selecionados pelo edital PIPE-FAPESP em parceria com a Finep.

O diagnóstico é um kit padronizado de reação de ELISA, para detectar no soro dos pacientes anticorpos circulantes IgG, que estão presentes na fase mais tardia da doença.

Este teste também foi sendo desenvolvido com a tecnologia cell-free.

Um mês depois, anunciamos a finalização de mais um projeto: antígenos virais do SARS-CoV-2, que já são comercializados pela BioLinker há mais de 6 meses nesse link: http://ip.biolinker.tech/e-commerce-kit-covid-1111

Imagem contendo três frascos de vidro de antigenos virais das proteínas-alvo de covid-19

A empresa cresceu, e na pesquisa do desenvolvimento de proteínas -alvo do Covid-19, contamos mais uma vez com o auxílio da FAPESP, dessa vez com o auxílio da especialista Dr. Natalia Marchesan Bexiga, uma pesquisadora que liofiliza absolutamente tudo o que você quiser! Dá uma olhadinha em: https://biolinker.tech/#produtos-e-servicos

Imagem de uma placa de 96 poços contendo o produto liofilizado, que foi distribuído para formar um B de BioLinker. À direita dois eppendorf contendo o reagente liofilizado, abaixo o kit cell-free contendo os eppendorf que estão no gelo.
Abaixo das duas imagens, a foto da pesquisadora Dra. Natalia Marchesan - PIPE FAPESP - 2020
À direita o logo da BioLinker, PIPE-FAPESP e FAPESP.

Graças a essa parceria, conseguimos iniciar a elaboração de kits cell-free e proteínas-alvo do Covid-19 liofilizadas. Aumentando assim a estabilidade dos reagentes e facilitando o transporte, armazenamento e desenvolvimento de projetos em todo o Brasil.

Repercussão da Mídia

O ano passou rápido, trabalhamos muito, mas no início do ano, tivemos mais uma ótima notícia: o laboratório do Prof. Dr. Frank Crespilho, situado no Instituto de Química de São Carlos da USP, com o qual temos uma colaboração está nas últimas fases do desenvolvimento de um teste rápido de Covid-19:

http://www5.iqsc.usp.br/2021/usp-desenvolve-teste-rapido-de-covid-19-para-viabilizar-aplicacao-em-massa/

O grande diferencial desse dispositivo é o seu valor, além de ser um projeto 100% nacional, já que as proteínas virais do Covid-19 são disponibilizadas pela BioLinker.

Esse teste ganhou as mídias sociais, e depois os grandes canais da imprensa:

https://agencia.fapesp.br/pesquisadores-desenvolvem-teste-popular-de-covid-19-para-ampliar-acesso-ao-diagnostico/35036/

https://saude.estadao.com.br/noticias/geral,usp-desenvolve-teste-que-reduz-custo-para-detectar-anticorpos-da-covid-19,70003590440

Ainda não terminamos essa história, mas eu estou ansiosa pra contar todos os detalhes pra vocês, no próximo post!

Continuar lendo

Técnica de PCR: Você conhece os principais tipos?

A técnica de PCR ganhou notoriedade com a pandemia do Corona vírus. Antes, quando era realizada a busca no Google, só observávamos publicações totalmente direcionadas ao público acadêmico, mas isso mudou.

Imagem com a sequência de evento do PCR, com os dizeres "como funciona a técnica de PCR?"

A técnica de PCR foi desenvolvida por Saiki em 1985 e Mullis em 1987. Mas Mullis foi o responsável pelo desenvolvimento do conceito de primer de PCR, que contém uma sequência específica para amplificar o DNA alvo, e utilizou a DNA polimerase termoestável, que foi obtida da bactéria de fontes termais Thermus aquaticus.

Imagine que o DNA é um livro de receitas. Você tem muito apego a esse livro de receitas, então você prefere fazer uma cópia da receita de bolo de cenoura com cobertura de chocolate, essa cópia é o RNA.

Agora vamos para o PCR. Quando você têm o livro de receitas, você procura a página do bolo pelo índice, certo? O índice nesse caso é o primer.

Agora dá então pra fazer a proteína de forma sintética com um equipamento chamado termociclador, que precisa ser ajustado de acordo com o produto que você vai fazer, até porque você não usa o mesmo tempo e temperatura pra cozinha uma lasanha, um bolo ou um pudim, né?

Agora, os tipos mais comuns de PCR:

PCR convencional – é o método utilizado para multiplicar um trecho específico do DNA, até que a sua concentração seja amplificada e possa ser detectada. Na reação deve conter a DNA polimerase, íons de Mg2+ e desoxinucleotídeos (ATP, TTP, CTP e GTP).

RT-PCR – A técnica de transcrição reversa e amplificação é utilizada para avaliar a expressão gênica a partir do mRNA.

Multiplex PCR – São utilizados diversos DNA alvo para uma única reação e diversos primers específicos para cada fragmento gênico escolhido.

Nested PCR – Técnica interessante caso você não consiga amplificar apenas um fragmento gênico na sua reação, ou se a amplificação não é suficiente para a detecção.

Ou seja, é realizado um PCR, e após a reação um novo PCR com primers internos, aumentando assim a especificidade.

PCR isotérmico – Amplificação isotérmica mediada por loop (Loop-mediated isothermal amplification – LAMP), utiliza enzima que permite amplificação isotérmica, apresenta alta especificidade, sensibilidade, rapidez e custo reduzido.

O resultado da amplificação é visualizado no próprio tubo, a olho nu, que é a técnica utilizada no BioTreco e também no Kit de detecção de Covid-19 que a BioLinker é parceira.

Continuar lendo

Projetos inovadores com financiamento FAPESP que inspiram!

Imagem em cartoon de tubos de ensaio e balão volumétrico.
Abaixo o logo da BioLinker, PIPE-FAPESP e Fapesp.

A BioLinker, com o apoio do financiamento FAPESP – PIPE captou mais de 1 milhão para o desenvolvimento do seu portfólio de produtos e serviços. Aqui nós vamos apresentar um pouco sobre dois projetos apoiados por esse programa!

O incentivo às startups e outras empresas de biotecnologia é fundamental para o desenvolvimento de novas tecnologias nacional.

Procarion: a revolução na forma de purificação proteica!

A tecnologia que permite a purificação proteica dentro de um microchip! Durante a purificação são usados aptâmeros especiais:
1- Imobilização dos aptâmeros
2- Purificação por afinidade
3- Eluição da proteína

Imagem do funcionamento dentro do microchip:
1- imobilização do aptâmero
2- Purificação por afinidade em pH 6.4
3- Eluição da proteína em pH 4.6

À direita da imagem os logos da BioLinker, PIPE-FAPESP e FAPESP.

Esse projeto é realizado pela Dra. Mona Oliveira, a Diretora Científica da BioLinker.
Os resultados iniciais são promissores. A tecnologia envolvida foi capaz de purificar a Imunoglobulina G de forma eficiente à partir de aptâmeros:

Imagem em 3D do aptâmero associado à proteína imunoglobulina G

Kits cell-free liofilizados!

A liofilização é um processo que permite o armazenamento de reagentes por mais tempo e em temperaturas mais compatíveis com uma logística mais acessível.
Esse projeto é realizado pela Dra. Natalia Marchesan, a Pesquisadora associada da BioLinker.

Imagem de uma placa de 96 poços contendo o produto liofilizado, que foi distribuído para formar um B de BioLinker. À direita dois eppendorf contendo o reagente liofilizado, abaixo o kit cell-free contendo os eppendorf que estão no gelo.
Abaixo das duas imagens, a foto da pesquisadora Dra. Natalia Marchesan - PIPE FAPESP - 2020
À direita o logo da BioLinker, PIPE-FAPESP e FAPESP.

Nosso time de especialistas desenvolve protocolos de liofilização e formulações que garantem a qualidade de nossos produtos associada a acessibilidade logística.

Produção de antígenos do Covid-10 FINEP/FAPESP

Nosso time de pesquisadores está se esforçando nessa quarentena para auxiliar no combate ao Covid-19 com o financiamento FAPESP. Antígenos virais são produzidos e liofilizados para uso em pesquisas inovadoras que buscas soluções de combate à pandemia de SARS-CoV-2:

1- MasterEasey PCR-LAMP isotérmico: kit de detecção molecular de RNA. Reverse transcriptase MMLV e Bst Polymerase;

2- Antígenos SARS-CoV-2: produzimos 6 antígenos virais SARS-CoV-2 (RBD, 3C Protease, Metiltransferase, RdR polymerase, N, E e M);

3- Teste ELISA para Covid-19: kits de detecção para Imunoglobulina G contra SARS-CoV-2.

Imagem de três tubos contendo antígenos de covid-19 liofilizados que fazem parte do projeto FAPESP.

Esse projeto é realizado em parceria com a Biobreyer e Tovem Biotech, e o pesquisador principal é o Dr. Phelipe Vitale, Diretor Técnico da BioLinker.

Peptídeos inteligentes

Nosso time de pesquisadores também desenvolve peptídeos inteligentes com efeitos antimicrobianos que podem ser usados pela indústria alimentícia como uma opção ao uso dos atuais conservantes utilizados.

Esse projeto é realizado pelo Dr. Mario Pineda, Diretor de Produção na BioLinker.

À esquerda: imagem de duas placas petri contendo meio de cultura, observando o crescimento de fungos.
À direita: imagem dos peptídeos em 4 frascos de vidro.

Mas não iremos parar por aqui. Em breve apareceremos com mais novidades!

Continuar lendo

Importância das incubadoras no crescimento de uma Startup

As startups são empresas que precisam de incubadoras, possuem grande potencial de crescimento e são empresas recém-criadas. Diferente de outras empresas tradicionais, a startup entra no mercado antes de possuir um capital sólido para crescer.

Imagem com a seguinte descrição: Você sabe o que é uma incubadora? Conheça nossa localização, dando ênfase à importância das incubadoras.
Ao fundo alguns béqueres utilizados em laboratórios.

A BioLinker é uma startup que está localizada no CIETEC, que é o Centro de Inovação, empreendedorismo e tecnologia.


O CIETEC é uma associação civil sem fins lucrativos, que possui 20 anos de existência, com o objetivo de “promover o Empreendedorismo inovador, incentivando a transformação do conhecimento em produtos e serviços de valor agregado para o mercado.”

A Incubadora de Empresas de Base Tecnológica de São Paulo – USP/IPEN é o maior polo de incubação de empresas de base tecnológica da América Latina! E tem como missão, o fomento do empreendedorismo inovador.

CIETEC: Uma trajetória de sucesso

Com fundação em 1998, a incubadora oferece aconselhamento, mentoria e suporte na gestão tecnológica, de marketing, de busca por fomentos e de administração de micro e pequenas empresas de base tecnológica, além de uma infraestrutura física para o desenvolvimento dessa modalidade de empresa.

Por que incubar startups?

A chave dessa pergunta é inovação, e é nesse contexto que a importância das incubadoras está.

As incubadoras são organizações sem fins lucrativos que oferecem apoio físico e administrativo para as startups se estruturarem para o mercado. Podem ser mantidas por instituições privadas ou públicas, o que as coloca como um importante precursor da cultura de inovação no ambiente universitário. Com isso, há a geração de novos empreendimentos que não poderiam ser realizados apenas em Institutos Públicos.

As startups usam a tecnologia como a base de sua solução inovadora e podem alcançar nichos sociais e ambientais ainda pouco explorados pelo mercado ao se tornarem especialistas no atendimento de uma necessidade específica.

O estímulo às Startups também é importante para que os profissionais tenham opções além da carreira acadêmica ou de multinacionais, aumentando a possibilidade de desenvolvimento profissional, principalmente entre os cientistas.

Continuar lendo

O que é a tecnologia cell-free utilizada na BioLinker?

Descrita em 1961 a técnica cell-free ainda não é tão difundida em laboratórios de biologia molecular, mas deveria.

Hoje vamos falar um pouco sobre esta técnica que muitos clientes acreditam que muito recente, mas na verdade, ela foi descrita na década de 60 (Nirenberg; Matthaei, 1961). O cell-free, é uma técnica que não usa a célula intacta, ela só usa a maquinaria necessária para a produção de uma proteína específica, e é por isso que nós temos um elevado rendimento.

O grande porém na época foi o elevado custo, mas a gente que é da pesquisa básica sabe: a ciência básica sempre dá um empurrãozinho na tecnologia, aí a gente tem a inovação, neh!?

E foi isso o que aconteceu…
A Mona Oliveira, PhD, no meio do seu doutorado observou que esse seria um nicho muito interessante, e ela teve a ideia de criar a BioLinker!

Desde o nascimento da BioLinker foram muitos desafios para conseguir padronizar a técnica, mas atualmente, temos o prazer de anunciar que estamos funcionando à todo vapor.

Graças a esta tecnologia, agora você pode sintetizar a sua proteína-alvo em menos de 8 horas.

Ficou curioso com as nossas atividades? Conheça os nossos produtos:

http://ip.biolinker.tech/e-commerce-proteina-sob-demanda-1841

http://ip.biolinker.tech/e-commerce-kit-covid-1111

http://ip.biolinker.tech/e-commerce-38

É uma técnica Linda e Simples:

Etapas de desenvolvimento do kit cell-free: crescimento celular, lise de células, extrato celular, adição de substrato e plasmídeo, incubação à 37 °C e obtenção da proteína alvo.
Etapas de desenvolvimento do kit cell-free. Imagem gerada em: https://biorender.com/

Continuar lendo
© 2021 BioLinker. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por CriaTec